Escola Vida/ maio 23, 2020/ Sem categoria

Nenhuma escola foi construída para ficar vazia, nenhuma sala de aula vazia ensina, um balanço parado é um balanço triste, ninguém para pisotear a areia, escalar a parede e deslizar no escorrega.
Tristes dias de escolas vazias! Mas há uma VIDA que pulsa; não está no prédio, nas salas, no pátio. Está hoje, atrás das telas, onde Professores, Alunos e Pessoal de Casa reinventam a Escola. Não dá para ficar sem aprender, a aprendizagem precisa ser mantida e a vida escolar com sua rotina se modifica diante de tão triste e perigoso tempo em que vivemos.
Em suas casas, Professores repensam seu ensino, muitos cursos, lives de formação, orientações da direção e coordenação da Escola – muitas, filmagens, registros, recriação do fazer. Muitas limitações tecnológicas a vencer, domínios novos, necessários ao novo tempo de ensinar, tudo isso sem preparo, sem aviso. Isso é dinamismo, conseguir se arriscar e aprender o novo, se aventurar a aprender à vista de todos, sem estágio, já assim, direto e com uma seleta plateia, os alunos e todo seu Pessoal de Casa que os assistem e, obviamente, os avalia de imediato. Alguém quer experimentar esse lugar?
Nos primeiros dias foi “aquela” loucura, todos os microfones ligados, todos falando ao mesmo tempo – Meu Deus, que vontade de fugir dali; agora, depois da rotina estabelecida e do aprendizado da novidade, organizados, dominando e cumprindo combinados, o ambiente de aprendência está mais pedagógico (obrigada pessoal de Casa, pela ajuda).
Mas ainda, muitas perguntas:
+ quais atividades servem a um ensino remoto?
+ que estratégias usar para mantê-los atentos?
+ quanto tempo a concentração deles aguenta?
+ como competir com outros eletrônicos que estão à disposição deles?
+ como atingir os objetivos de ensino?
+ como avaliar se estão aprendendo?
+ como proporcionar a interação entre eles e o professor?
+ e a afetividade como fica? E…
São muitas e muitas dúvidas, mas a missão que temos é de seguir em frente, assumir os desafios, estudar, planejar com cuidado e assumir a cena diante de uma tela.
O plano de um professor é o seu guia, é pensado para atingir objetivos, mas há a imprevisibilidade, àquilo que acontece enquanto fazemos o que planejamos, e isso acontece também online. E precisamos estar preparados para a imprevisibilidade, para o inesperado, inclusive para a falta de internet no meio de uma live. E agora?
O Pessoal de Casa, parceiro, precisa estar atento para organizar o espaço em que a criança vai estudar, sem barulho, sem distratores (celular, tv, maninhos, brinquedos, gente caminhando, falando etc.), tudo isso ao mesmo tempo em que trabalha no seu fazer; precisa muitas vezes estar junto porque a criança é pequena e ainda, depois, postar as atividades na plataforma para o Professor corrigir. Os Profes estão assim também, se virando em casa, com seus filhos e com seu trabalho. Estamos juntos, nessa!
E será que dá para perceber a construção do aluno por trás de uma tela? Precisamos escolher entre construir ou transmitir. A construção exige o pensamento, o raciocínio e a memória (cognição); a transmissão vai precisar somente da memória. O que é mais fácil? A transmissão. O que é mais eficiente? A CONSTRUÇÃO. “Bora lá”! Vamos construir!
Enquanto isso, a Escola se prepara para o dia em que será possível, que o espetáculo maravilhoso que é a arte de ensinar, possa acontecer novamente em seus espaços e então, os balanços voltarão a sorrir, mesmo que cheios de protocolos de higiene e segurança.